No dia 19 de janeiro, Esteio iniciou, assim como muitas outras cidades do Brasil, a imunização contra a COVID-19. Servidores da área da saúde que atendem diretamente a pacientes com suspeita ou casos confirmados de coronavírus em unidades de saúde e no Hospital São Camilo, moradores de instituições de longa permanência de idosos (ILPIs), chamados popularmente de asilos, e trabalhadores destes espaços foram os primeiros a serem vacinados.

Aos poucos, o grupo de pessoas com direito a receberem a vacina nesta primeira fase da Campanha Nacional de Imunização foi aumentando, chegando, na última quarta-feira (17), aos idosos com mais de 80 anos.

Um mês depois da enfermeira Vanessa Ebbling Camargo, 42 anos, ser a primeira pessoa de Esteio a receber o imunizante, o Município já conta com 2.697 doses aplicadas, de acordo com dados da SMS, apurados às 17h desta sexta-feira (19). Destas, 535 são doses complementares. Somando, é como se 3,24% da população de Esteio já tivesse recebido a vacina. A título de comparação, o Brasil vacinou pouco mais de 2,65% de sua população, de acordo com levantamento de um consórcio de veículos de imprensa junto às secretarias estaduais da Saúde.


Seis remessas

A primeira remessa de vacinas para Esteio, com 649 doses da Coronavac, chegou no dia 19 de janeiro. Dois dias depois, mais 103 doses do imunizante produzido pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo, chegaram e foram direcionadas também para idosos acamados e servidores do São Camilo que atuam no setor de imagem e, diariamente, têm contato com pessoas contaminadas.

Em 26 de janeiro, chegou à Rede Municipal de Saúde a primeira remessa do imunizante desenvolvido pela anglo-sueca AstraZeneca em parceria com a Universidade Oxford, da Inglaterra, e importado da Índia. O público-alvo das 490 doses foi ampliado para agentes comunitários de saúde que atuam diretamente nas residências, funcionários que trabalham nas áreas assistenciais do Hospital São Camilo, servidores dos centros de Atenção Psicossocial (Caps) e Centro Integrado de Atenção à Saúde (Cias) e equipes de atendimento da Regulação da SMS e da Farmácia Básica Municipal.

Em 2 de fevereiro, mais 220 doses da Coronavac enviadas pelo Ministério da Saúde e repassadas pela SES chegaram a Esteio. Nesta remessa, também foram vacinados visitadores dos programas Primeira Infância Melhor (PIM), funcionários do Centro Referência em Práticas Integrativas e Complementares de Saúde (Cerpics), trabalhadores da Vigilância Ambiental e servidores dos setores administrativos da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e Hospital. No mesmo dia, chegaram 752 doses, direcionadas para a aplicação da dose complementar da Coronavac.

No dia 9 de fevereiro, chegaram mais 1.070 doses da Coronavac. Destas, 860 foram direcionadas para idosos acima dos 85 anos e acamados. Outras 210 foram reservadas para dar sequência à imunização de profissionais da saúde de instituições particulares que prestam serviços para a SMS, que também está sendo realizada.

Quem recebeu a vacina produzida pela chinesa Sinovac/Instituto Butantan deve fazer a segunda dose entre 14 e 28 dias. Os vacinados com a AstraZeneca têm 90 dias para receber a outra dose. Cada vacinado recebe um cartão com o nome da vacina aplicada (Coronavac ou AstraZeneca, por enquanto) e data de aplicação da dose complementar.


Vacinação de idosos com mais de 80 anos
Para serem imunizados, idosos com mais de 80 anos precisam fazer agendamento pelos telefones 3473-6377, 3473-8964, 3473-0480 ou 3458-2824 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h). A vacinação está sendo realizada de segunda a sexta-feira, a partir das 13h, em um drive thru em frente à sde de SMS (Avenida Padre Claret, 666). Aqueles que não puderem ir até o local são atendidos em casa, assim como os acamados.

Neste momento, as pessoas não devem procurar as unidades de saúde para vacinação. À medida que mais vacinas forem chegando, enviadas pelo Ministério da Saúde, mais integrantes de grupos prioritários serão chamados para a vacinação, observando as prioridades definidas pelo Governo Federal. A expecativa da SMS é receber nova remessa na próxima semana.

Vacinadas ou não, as pessoas precisam manter os cuidados contra o coronavírus, uma vez que a pandemia ainda não acabou. Uso de máscara, distanciamento social e higienização frequente das mãos devem ser mantidos para evitar o risco de contágio com a doença.

 

Público

Doses aplicadas

Idosos com mais de 80 anos

727

Servidores do Hospital São Camilo

716

Moradores e trabalhadores de asilos

422

Servidores da SMS

405

Pessoas acamadas (independentemente da idade)

309

Trabalhadores da rede privada da saúde

96

Trabalhadores de laboratórios

22

Total

2.697

 

 


Grupos prioritários*

Grupo 1
Trabalhadores da saúde que atuam na linha de frente no enfrentamento ao coronavírus, pessoas com 60 anos ou mais que vivem em instituições de longa permanência de idoso; idosos a partir de 65 anos acamados; trabalhadores da saúde em geral; idosos a partir dos 75 anos; populações indígenas e quilombolas

Grupo 2
Pessoas de 60 a 74 anos

Grupo 3
Pessoas com as seguintes comorbidades: diabetes mellitus, hipertensão arterial grave, doença pulmonar obstrutiva crônica, doença renal, doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, indivíduos transplantados de órgão sólido, anemia falciforme, câncer e obesidade grave

Grupo 4
Professores (nível básico ao superior); servidores das forças de Segurança e salvamento; funcionários do Sistema Prisional
* De acordo com Ministério da Saúde. Poderá sofrer ajustes

 











Fotos: Adriano Rosa da Rocha, Djalma Corrêa Pacheo, Eduardo Baratto Leonardi e Gabriela Thurow