20190619 AdrianoRosadaRocha AcaoCombateDengue 003
Foto: Adriano Rosa da Rocha
Agentes de combate à dengue da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) realizam, entre a próxima segunda (23) e sexta-feira (27), mais um Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa). A pesquisa estima os níveis de proliferação na cidade do mosquito transmissor de dengue, febre chikungunya e zika, fornecendo informações importantes para combater o mosquito transmissor.

De acordo com a coordenadora de Vigilância em Saúde, Malena Yamada, anualmente são realizados quatro levantamentos do índice de infestação, mas este ano, em razão da pandemia, serão feitos apenas dois. “Esta vai ser a segunda edição deste ano, que ficou prejudicada, em razão das restrições que tivemos, para reduzir riscos de contágios da Covid-19. Importante salientar a necessidade desse estudo e da receptividade dos moradores. Todas as equipes que irão até as residências estarão devidamente identificadas, para poderem acessar os endereços”, disse.

Malena informou ainda que o LIRAs identificará os locais onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito e quais os tipos mais comuns de recipientes com água parada que servem de criadouros. A pesquisa proporciona informação qualificada para atuação em ações de prevenção e controle.


O Aedes
A reprodução do Aedes aegypti costuma ser mais intensa durante o verão. O mosquito não escolhe o bairro ou casa para se reproduzir. Ele precisa apenas de locais com água parada. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação deve ser feito por todos. A principal ação para prevenção dessas doenças é evitar o nascimento do mosquito da dengue, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação.

Em 45 dias, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas. É bom lembrar que o ovo do mosquito pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Se a área receber água novamente, o ovo ficará ativo e poderá atingir a fase adulta em poucos dias. Por isso, após eliminar a água parada, é importante lavar os recipientes com água e sabão.


Esclarecendo dúvidas sobre o Aedes aegypti
Como é o mosquito da dengue?
O inseto é um pernilongo escuro com listras brancas e tem por hábito picar durante o dia.

Qual a propagação da contaminação?
Em 45 dias, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas.

Quanto tempo as larvas do mosquito sobrevivem sem água?
O ovo do mosquito pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Se a área receber água novamente, o ovo ficará ativo e poderá atingir a fase adulta em poucos dias. Por isso, após eliminar a água parada, é importante lavar os recipientes com água e sabão.

Como o inseto é infectado?
O Aedes aegypti somente se infecta com o vírus da dengue ao picar uma pessoa com a doença, então o mosquito passa a transmitir o vírus.

Quais os principais sintomas?
A dengue clássica se manifesta assim:
- 99% das pessoas apresentam febre durante cerca de sete dias com início abrupto.
- 60% têm dor de cabeça frontal severa, dores nas articulações e músculos.
- 50% têm dor atrás dos olhos (retro-orbital)
- 50% têm prostação, indisposição, perda de apetite, náusea e vômitos.
- 25% têm manchas vermelhas no tórax e braços.
* Importante: A Dengue se diferencia de resfriados e gripes por não apresentar sintomas respiratórios.

Há tratamento para a doença?
Não existe tratamento específico. Diante a mínima suspeita de dengue, não utilize medicamento a base de ácido acetil-salicílico. Beba bastante água e consulte um médico.

O que fazer se tiver com os sintomas?
Procure a unidade de saúde mais próximas de sua casa ou a emergência do Hospital São Camilo.

Existe vacina contra a dengue? Quantas vezes a pessoa pode ter a doença?
Não existe vacina. Existem quatro tipos de vírus (Den 1, Den 2, Den 3 e Den 4), pode-se adoecer por cada um dos vírus circulantes que está no mosquito, então, quatro vezes. Cada tipo confere imunidade.

Que cuidados tomar?
Para evitar a dengue, o ideal é não deixar água limpa parada. O mosquito coloca seus ovos em água limpa, mas não necessariamente potável. Por isso é importante jogar fora pneus velhos, virar garrafas com a boca para baixo e, caso o quintal seja propenso à formação de poças, realizar a drenagem do terreno. Também é necessário lavar a vasilha de água do bicho de estimação regularmente e manter fechadas tampas de caixas d'água e cisternas. Não depositar entulhos em terrenos baldios. Coloque areia nos vasos de plantas. Use inseticidas, repelentes, telas nas janelas e mosqueteiros.


Dúvidas e denúncias

Para tirar dúvidas ou denunciar alguma situação irregular, ligue para a Ouvidoria da Vigilância Epidemiológica: 3473-6377