20201006 Divulgacao AnaliseCoronavirusLaboratorioFeevale abre
Fotos: Divulgação/GPS COVID
A pesquisa GPS COVID Esteio não se limita à realização de testes do novo coronavírus (COVID-19) nos habitantes da cidade. Uma nova frente do estudo foi aberta nesta segunda-feira (5), no Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, em Novo Hamburgo, com a fase preliminar ao sequenciamento genético (análise da composição) de amostras do SARS-CoV-2, vírus causador da COVID-19. O levantamento é uma parceria da Prefeitura Municipal com quatro instituições gaúchas de ensino superior (Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Unisinos e Feevale), envolvendo cerca de 50 pesquisadores.

 

Inicialmente, a ideia é utilizar até 30 amostras selecionadas de pacientes positivos para COVID-19 internados na Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio (Hospital São Camilo) com quadros mais graves, o que poderá resultar na identificação de mutações no vírus que levem a um pior desfecho da doença. As etapas do procedimento envolvem a transformação das moléculas de RNA (ácido ribonucleico) do SARS-CoV-2, elementos em filamento simples, em DNA (ácido desoxirribonucleico), compostos de fita dupla. Elas contém as informações genéticas sobre o desenvolvimento e o funcionamento do vírus. A partir disso, são construídas “bibliotecas” com os dados constantes no DNA que, posteriormente, passarão pelo processo de sequenciamento em equipamentos da Feevale.

 

Essa etapa do estudo auxiliará a identificar padrões da doença. As informações serão comparadas com as disponíveis em bancos de dados públicos, no Brasil e no exterior, de pacientes com coronavírus e de casos registrados em outros surtos de síndromes respiratórias recentes (como a H1N1). A intenção é descrever a evolução do vírus, identificando suas eventuais mutações, as mudanças em sua capacidade de transmissão e a variação das manifestações clínicas apresentadas.

 

Realização de testes rápidos para a pesquisa está na 11ª etapa

O objetivo da GPS COVID Esteio é traçar, com base em dados do Município, um perfil epidemiológico, genômico e clínico do vírus SARS-COV2, causador do novo coronavírus (COVID-19). O levantamento inova ao realizar um amplo estudo epidemiológico, detalhado em 12 objetivos específicos, capaz de estimar a prevalência da infecção, acompanhar a evolução da doença, avaliar padrões moleculares virais por meio de sequenciamento genético e indicar evidências e estratégias para o fim do distanciamento social, entre outros possíveis usos.

 

Pela pesquisa, estão sendo realizados testes rápidos para detecção da doença em moradores esteienses. A 11ª fase de coletas iniciou nesta segunda (5) e segue até a quarta-feira (7). Nas 10 etapas anteriores, foram realizadas 5.306 testagens, com 124 moradores positivos, uma prevalência de um caso a cada 43 pessoas. Seguindo este número, o estudo estimaria a existência de 1.944 casos em Esteio no dia 23 de setembro, enquanto os registros oficiais da Prefeitura mostravam 2.178 positivos naquela data, indicando não haver subnotificação.

 

Para a definição de quem será testado para a pesquisa, a equipe dividiu os 13 bairros de Esteio em 149 setores, cada um com 177 domicílios em média. A cada fase, os setores são sorteados e, neles, os pesquisadores definem, aleatoriamente, as casas onde as coletas serão feitas. Durante a visita às moradias, os integrantes do estudo, por meio de um aplicativo desenvolvido especialmente para ação, preenchem um questionário com o objetivo de identificar se os residentes apresentaram ou apresentam sintomas da doença, como febre, tosse e dificuldade para respirar, bem como informações sobre saúde, renda, cor da pele e idade, entre outros dados.

 

Após isso, os profissionais da saúde realizam a testagem rápida em todos os moradores da casa, coletando uma pequena amostra de sangue. Os resultados, obtidos em 15 minutos de espera, são tabulados e analisados com auxílio de algoritmos e modelos matemáticos complexos, e apresentados para a Administração Municipal, permitindo ajustes nas ações de combate ao coronavírus. Pacientes que testem positivo para a doença recebem acompanhamento especial.

 

Outra proposta do estudo, também em andamento, é a avaliação clínica sobre o vírus, com testes e exames com pacientes internados no Hospital São Camilo. A Prefeitura deu acesso aos pesquisadores aos relatórios de exames moleculares coletados pelo Município, bem como ao prontuário eletrônico de pacientes que apresentam resultado positivo para COVID-19 (desde que a pessoa autorize o uso das informações).

 

Há a intenção, ainda, de disponibilizar os resultados do estudo para a comunidade em geral em um painel visual online (dashboard). Outro recurso eletrônico que permanecerá como legado para a Administração Municipal é o aplicativo criado para aplicação do questionário, que reunirá as informações para a Prefeitura em um banco de dados, podendo ser utilizado em outros levantamentos.

 

gallery1 gallery1