002 BrasaoPrefeituraA Prefeitura de Esteio prorrogou a suspensão das aulas presenciais em escolas da rede municipal até 31 de outubro. A medida, adotada em razão da pandemia do novo coronavírus (COVID-19), foi publicada no Decreto Municipal nº 6.717/2020, desta quarta-feira (30).

 

As tarefas a distância realizadas desde maio com os estudantes terão sequência. Elas são obrigatórias para os alunos do Ensino Fundamental e de adesão facultativa no caso da Educação Infantil. O conteúdo é oportunizado de duas maneiras diferentes. Quem tem acesso à Internet pode baixar o material nos meios digitais disponibilizados pelas escolas e entregar as tarefas pela mesma plataforma. Quem não tem acesso à Internet deve buscar os conteúdos impressos na escola onde estuda. A cada semana, o aluno busca novas tarefas e entrega as que retirou na semana anterior.

 

As atividades serão registradas no Educaweb, sistema de controle da SME. A realização das tarefas serve para completar as 800 horas de aulas que os estudantes têm de cumprir de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB). Os conteúdos foram definidos pelas equipes pedagógicas de cada escola e a Gestão de Ensino Fundamental da SME sugeriu o plano de trabalho. 

 

Há, ainda, um repositório virtual com materiais e recursos pedagógicos complementares para os alunos da rede municipal de ensino. O portal EducaEsteio (sites.google.com/educaesteio.com.br/educaesteio) tem conteúdos voltados à Educação Infantil, ao Ensino Fundamental e ao Serviço Municipal de Educação Especial e Inclusiva (Semeei), além de uma biblioteca digital, na qual podem ser encontrados diversos livros das categorias infanto-juvenil, literatura, não-ficção, quadrinhos e materiais didáticos.

 

No caso da rede privada, as atividades presenciais já foram retomadas, a partir das determinações previstas no sistema de Distanciamento Controlado do Governo do Estado do Rio Grande do Sul de prevenção e combate ao COVID-19. Cada instituição de ensino precisou criar um Centro de Operações de Emergência em Saúde para a Educação (COE-E) próprio e elaborar um plano de contingência, que deve ser encaminhado para o COE-E do Município, o qual emite parecer indicando a conformidade ou não em relação aos requisitos previstos na legislação estadual.

 

Até esta quarta-feira (30), 17 escolas e centros de ensino privados já foram autorizados a voltar a aulas presenciais, obedecendo os protocolos da bandeira vigente como, por exemplo, o limite de 50% da capacidade de alunos por sala de aula, uso de máscara e requisitos de higiene e sanitização (veja a relação aqui).

 

Programa MedCasa seguirá com público-alvo ampliado

Outra determinação do Decreto 6.717/2020 é a manutenção da ampliação temporária, por prazo indeterminado, do público-alvo do programa MedCasa a pessoas com idade superior a 65 anos. A ação da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para entrega domiciliar de medicamentos teve essa mudança instituída por decreto em março, também como prevenção e enfrentamento ao novo coronavírus.