20200824 AdrianoRosadaRocha OitavaEtapaPesquisaCOVID19 003
Foto: Adriano Rosa da Rocha
Os esteienses puderam conhecer, a partir de uma transmissão na página da Prefeitura no Facebook no início da tarde desta terça-feira (1º), os resultados da oitava etapa do estudo GPS COVID Esteio. A apresentação foi feita pela secretária municipal de Saúde, Ana Boll, pela coordenadora-geral da pesquisa e docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), Prof. Dra. Claudia Thompson, e pela coordenadora do estudo junto à Unisinos, Nêmora Barcellos.

 

Os pesquisadores coletaram 523 amostras entre os dias 24 e 26 de agosto, resultando 29 casos positivos da doença. No acumulado das oito fases do estudo, já foram aplicados 4.257 testes, dos quais 86 apontaram a presença de anticorpo do coronavírus. Dessa forma, a pesquisa indica uma prevalência de 2,02%, ou seja, um caso a cada 49 pessoas. Aplicando este cálculo, Esteio teria um número estimado de 1.681 moradores com a doença, enquanto no dia 26 de agosto os números oficiais apontavam 1.429 pessoas positivadas, mantendo a tendência de subnotificação baixa, com menos de um caso não notificado para cada caso oficialmente registrado.

 

Escolha das residências para aplicação do teste é definida por sorteio

O projeto GPS COVID em Esteio tem como objetivo traçar, com base em dados do Município, um perfil epidemiológico, genômico e clínico do vírus SARS-COV2, causador do novo coronavírus (COVID-19). A iniciativa é uma parceria da Prefeitura Municipal com quatro instituições gaúchas de ensino superior (UFCSPA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul – UFRGS, Unisinos e Feevale), envolvendo cerca de 50 pesquisadores.

 

Para a definição de quem será testado para a pesquisa, a equipe dividiu os 13 bairros de Esteio em 149 setores, cada um com 177 domicílios em média. Destes setores, 64 já foram escolhidos por sorteio para receber o estudo. Neles, os pesquisadores definem, aleatoriamente, as casas onde as coletas serão feitas. Durante a visita às moradias, os integrantes do estudo, através de um aplicativo desenvolvido especialmente para ação, preenchem um questionário com o objetivo de identificar se os residentes apresentaram ou apresentam sintomas da doença, como febre, tosse e dificuldade para respirar, bem como informações sobre saúde, renda, cor da pele e idade, entre outros dados.

 

Após isso, os profissionais da saúde realizam a testagem rápida em todos os moradores da casa, coletando uma pequena amostra de sangue. A taxa de participação na pesquisa está em 92% dos moradores de cada residência. Os resultados, obtidos em 15 minutos de espera, são tabulados e analisados com auxílio de algoritmos e modelos matemáticos complexos, e apresentados para a Administração Municipal, permitindo ajustes nas ações de combate ao coronavírus. Pacientes que testem positivo para a doença recebem acompanhamento especial.

 

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, até esta segunda-feira (31) Esteio registrava 930 casos confirmados de COVID-19, com 229 pacientes em recuperação, 1.334 curados e 50 óbitos. Outros 280 casos constam como suspeitos e 8 mil foram descartados, com resultado negativo para coronavírus. Quase 10 mil testes já foram realizados no Município.

 

Outras análises da pesquisa já estão em andamento

A pesquisa GPS COVID não prevê, apenas, a aplicação dos testes em moradores do Município. O levantamento inova ao realizar um amplo estudo epidemiológico, detalhado em 12 objetivos específicos, capaz de estimar a prevalência da infecção, acompanhar a evolução da doença, avaliar padrões moleculares virais por meio de sequenciamento genético e indicar evidências e estratégias para o fim do distanciamento social, entre outros possíveis usos.

 

As equipes já deram início à avaliação clínica sobre o vírus, com testes e exames com pacientes internados na Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio. A Prefeitura dará acesso aos pesquisadores aos relatórios de exames moleculares coletados pelo Município, com uma estimativa de 3 mil pessoas testadas, bem como ao prontuário eletrônico de pacientes que apresentarem resultado positivo para COVID-19 (desde que a pessoa autorize o uso das informações).

 

A pesquisa também prevê o sequenciamento genético (análise da composição do vírus) das amostras positivas. Isso auxiliará a identificar padrões da doença, informações que serão comparadas com as disponíveis em bancos de dados públicos, no Brasil e no exterior, de pacientes com coronavírus e de casos registrados em outros surtos de síndromes respiratórias recentes (como a H1N1). A intenção é descrever a evolução do vírus, identificando suas eventuais mutações, as mudanças em sua capacidade de transmissão e a variação das manifestações clínicas apresentadas.

 

A intenção é disponibilizar os resultados do estudo para a comunidade em geral em um painel visual online (dashboard). Outro recurso eletrônico que permanecerá como legado para a Administração Municipal é o aplicativo criado para aplicação do questionário, que reunirá as informações para a Prefeitura em um banco de dados, podendo ser utilizado em outros levantamentos.

 

Clique aqui para ver a apresentação

Clique aqui para assistir à transmissão (início aos 20seg)