20190514 Divulgacao PrefeitoPalestraEstadosUnidos abreaO prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal, apresentou nesta segunda-feira (13), a experiência da cidade no processo de interiorização de refugiados venezuelanos no Brasil. A atividade integra a Missão sobre Engajamento de Comunidades na Integração de Refugiados, organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) nos Estados Unidos, que está sendo realizada até sábado (18), em Seattle.

Pascoal detalhou as etapas envolvidas na denominada "Operação Venezuela", que acolheu em Esteio um total de 224 refugiados venezuelanos desde setembro de 2018. Questões como organização dos abrigos, inserção no mercado de trabalho, acesso aos serviços públicos e outros aspectos foram abordados na apresentação. “O que mais nos chamou atenção é a similaridade da nossa prática empírica com o processo de reassentamento de refugiados nos Estados Unidos, que já ocorre há muitos anos. Quando iniciamos este desafio, não tínhamos outros exemplos pra nos espelhar, então fomos construindo nosso próprio formato de acolhimento. Hoje vemos com clareza porque tudo deu tão certo e também o tamanho de nossa contribuição nesta pauta tão importante”, destaca Pascoal.


Missão
Até sábado, o prefeito Leonardo Pascoal e a secretária do Trabalho, Cidadania e Empreendedorismo, Tatiana Tanara, participam da Missão, organizada pelo Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) no Brasil e pelo International Rescue Committee nos Estados Unidos. O evento acontece em Seattle e Salt Lake City, Estados Unidos, com custos de voo e hospedagens cobertos pela Organização Internacional. A atividade tem como objetivo principal compartilhar boas práticas e proporcionar à delegação brasileira a possibilidade de contato com programas de integração local para reassentados desenvolvidos em outros países.

Conforme nota do ACNUR, desde 2016, países tradicionais de refúgio na América Latina vêm estabelecendo ou aumentando seus programas de reassentamento e de admissão humanitária para receber refugiados. Os esforços feitos pelos países emergentes de reassentamento superaram as expectativas em relação ao aumento de soluções oferecidas por terceiros países, após a adoção pela Assembleia Geral das Nações Unidas da Declaração de Nova Iorque para Refugiados e Migrantes de 19 de setembro de 2016, e do Plano de Resposta Abrangente aos Refugiados (CRRF, na sigla em inglês).


Texto:
Cristiane Franco

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1