20190110 IngridKasper FiscalizacaoDengue abre
Fotos: Ingrid Kasper
Na manhã desta quinta-feira (10), agentes de combate à dengue da Vigilância em Saúde de Esteio realizaram vistorias em residências do Centro da cidade. As ações foram priorizadas após focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor também de zika vírus e a febre chikungunya, serem encontrados no bairro em dezembro de 2018. Mesmo que ainda não tenham sido registrados casos da doença em Esteio, os moradores devem ficar atentos aos cuidados para evitar situações de risco. Na visitas, os agentes também realizam orientações sobre prevenções ao escorpião amarelo. Nenhum inseto foi encontrado em Esteio mas há o alerta pela proximidade a cidades onde ele já foi encontrado.

O aposentado Adão Silva de Freitas, 85 anos, estava atento aos cuidados para evitar a proliferação do mosquito. “Sempre procuramos manter tudo limpo, sem água parada, cuidando com as coisas que mantemos aqui no pátio. Agora reforçamos o alerta ao escorpião amarelo, evitando também manter qualquer tipo de lixo ou entulho aqui”, disse. Adão já havia recebido a visita dos agentes em dezembro.

A fiscal da dengue Valquíria da Silva Dias alertou para a necessidade de se cuidar todos os detalhes. “Muitas vezes algum plástico jogado no chão, recipiente ou telha podem armazenar água. É importante que se redobre a atenção, verificando onde pode conter esse acúmulo. Três dias são suficientes para que o mosquito se reproduza. Além disso, agora com o escorpião, deve-se evitar qualquer tipo de entulho, como telhas, caixas, madeiras, pois é o ambiente favorável para que ele fique”, afirmou.

A fiscalização contra a dengue é realizada não apenas no verão, mas ao longo de todo o ano. A Secretaria Municipal de Saúde conta com uma equipe de 12 agentes de combate à dengue, os quais participam de vistorias, a fim de verificar a existência de larvas ou do próprio mosquito Aedes aegypti. Quando é identificado algum tipo de larva ou mosquito, o fiscal coleta uma amostra e leva para ser analisada no laboratório da SMS. Se for o caso de transmissor da dengue, a equipe retorna à residência da pessoa e a orienta sobre os cuidados que devem ser tomados.

Sobre o Aedes
Para que ocorra a reprodução do mosquito, que se intensifica no verão, é necessário apenas que exista água parada no local. A principal forma de prevenção das doenças transmitidas pelo mosquito é evitando seu nascimento e, consequentemente, a contaminação. Deve-se evitar qualquer local onde a água fique depositada, como caixas d'água sem tampas, pneus nos pátios, vasos de plantas, etc. A dengue, o zika vírus e a febre chikungunya são doenças transmitidas exclusivamente pela picada do mosquito Aedes Aegypti contaminado. Se você apresentar os sintomas de qualquer uma das doenças, dirija-se imediatamente ao posto de saúde mais próximo ou à emergência do Hospital São Camilo (Rua Castro Alves, 948 - Tamandaré ).

Em 45 dias, um único mosquito pode contaminar até 300 pessoas. O ovo do mosquito pode sobreviver até 450 dias, mesmo se o local onde foi depositado estiver seco. Se a área receber água novamente, o ovo ficará ativo e poderá atingir a fase adulta em poucos dias. Por isso, após eliminar a água parada, é importante lavar os recipientes com água e sabão.

A população pode realizar denúncias de possíveis locais de proliferação do mosquito pelo número da Ouvidoria (0800-541-0800).

Sintomas
Febre, coceira, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, dor no corpo e nas juntas, manchas vermelhas pelo corpo, mal-estar e cansaço

O escorpião amarelo 
A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta para que a população fique atenta aos riscos do contato com o animal, que habita locais escuros, alimentando-se, principalmente, de baratas.

Nenhum caso foi registrado em Esteio, porém a proximidade com os municípios onde os casos foram registrados reforça o alerta. 

Para evitar a proliferação do escorpião amarelo, recomenda-se à população que mantenha os locais limpos e sem acúmulo de lixo, já que ele vive principalmente em caixas de gordura, ralos e entulhos. Em caso de avistamento do animal, a recomendação é que não se tente matá-lo. A população deve entrar em contato imediatamente com a Vigilância em Saúde pelo telefone 3033-1207, solicitando contato com a Vigilância Ambiental.

Em casos de acidentes envolvendo o escorpião amarelo, as pessoas picadas devem ser encaminhadas imediatamente ao Hospital São Camilo.


Faça sua parte e ajude na prevenção!

- não deixe água parada
- coloque o lixo em sacos plásticos e mantenha a lixeira bem fechada. Não jogue lixo em terrenos baldios
- coloque no lixo todo objeto que possa acumular água, como embalagens usadas, latas, garrafas vazias, etc.
- mantenha o saco de lixo bem fechado e fora do alcance de animais
- encha de areia até a borda os pratinhos de vasos de planta e não deixe a água acumulada sobre a laje
- remova folhas, galhos e tudo que possa impedir a água de correr pelas calhas
- lave semanalmente com escova e sabão os tanques e utensílios utilizados para armazenar água
- lave também plantas como as bromélias, que acumulam água em sua estrutura.
- mantenha a caixa d'água, tonéis e barris sempre fechados com tampa adequada. Filtre a água da piscina diariamente e use cloro com regularidade
- use repelente durante o dia e reaplique diversas vezes

 

Texto: Ingrid Kasper

 

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1