20180419 DjalmaCorreaPacheco ReuniaoLoteamentoNeuzaBrizola abre
Fotos: Djalma Corrêa Pacheco
Moradores do Loteamento Neuza Brizola conheceram, na noite desta quinta-feira (19), detalhes do projeto de revitalização da comunidade, também conhecida como Hípica. O encontro, coordenado pelo titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Koulrausch, ocorreu no Centro de Convivência Território de Paz com a presença do vice-prefeito Jaime da Rosa e técnicos da SMDUH, pasta responsável pelo acompanhamento das obras.

No local, serão implantadas redes de esgoto pluvial e cloacal e pavimentadas ruas e passeios públicos. Também serão realizadas intervenções de paisagismo nos largos 1 e 2. Além disso, durante e depois das obras, será oferecida uma série de ações do Trabalho Técnico Social, como oficinas, visitas domiciliares e cursos de geração de trabalho e renda, visando a melhoria da qualidade de vida dos moradores da comunidade. Diretamente, 160 famílias serão beneficiadas com as intervenções, que devem começar na primeira quinzena de maio.

No final do encontro, o prefeito Leonardo Pascoal falou da importância da conquista dos moradores e da mudança que a comunidade vai presenciar. “Essas obras vão revolucionar a vida de vocês. Foram pensadas em vocês, na família de vocês. Estamos em 2018 e é muito triste que ainda tenhamos esgoto correndo por cima de ruas. E essa realidade que vai mudar”, afirmou. Pascoal agradeceu ao trabalho de todos os envolvidos no projeto, tanto da SMDUH quanto de outros órgãos da Prefeitura. “Para realizar esse sonho de vocês, muitas pessoas estão trabalhando”, destacou. O prefeito pediu a colaboração da comunidade para fiscalizar as ações. “Que possa ser uma obra bem executada, com qualidade e segurança. Parabéns a vocês por esta conquista e que daqui a alguns meses a gente venha aqui inaugurar essa obra que vai dar mais dignidade para vocês”, finalizou.

No início da reunião, Marcelo Koulrausch informou que serão investidos R$ 1,5 milhão no loteamento, recursos da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) do Governo Federal, financiados pela Caixa Econômica Federal. As obras serão executadas nas ruas Oswaldo Jesus Vieira e Nações Árabes, nos calçadões Norte e Sul, e nas travessas 70 a 74. Na rede de drenagem serão mais de 600 metros de tubulação e, na de esgoto cloacal, mais de 1 mil metros. A pavimentação asfáltica será aplicada em mais de 1 mil metros quadrados. Outros 2 mil metros quadrados de ruas serão calçadas com blocos de concreto intertravados. “Isso tudo vai dar um aspecto novo para a comunidade e valorizar os imóveis de vocês. Nós somos parceiros para mudar a realidade atual e a Neuza Brizola será modelo”, garantiu.

O vice-prefeito, que conhece bem a região – era secretário de Habitação quando o loteamento foi criado – fez um breve histórico do Neuza Brizola e de comunidades vizinhas. Jaime disse que a Prefeitura demorou muito tempo para realizar obras de infraestrutura no local. “Agora estamos vindo aqui, não com promessas, mas com algo real. Vocês são pessoas dignas que merecem todo o esforço que a Administração Municipal está fazendo neste projeto.

No encontro, também foram apresentados os técnicos da SMDUH que vão tratar diretamente com a população e acompanhar a execução das obras. No final, foi aberto espaço para perguntas dos moradores.


Trabalho Social
O objetivo do Trabalho Técnico Social, realizado em projetos como o da revitalização do Loteamento Neuza Brizola, é fazer com que a comunidade acompanhe efetivamente o projeto e participe de ações educativas e de mobilização social, visando o exercício da cidadania e a melhoria da qualidade de vida. Uma empresa especializada é contratada para oferecer uma série de atividades, como oficinas de geração de trabalho e renda, projetos culturais e eventos artísticos e esportivos, entre outros. Quem coordena e fiscaliza o trabalho é uma equipe da SMDUH, composta por assistentes sociais, psicólogos, técnico ambiental e estagiários. Na Neuza Brizola, o Trabalho Técnico Social terá duração de 11 meses.

 

Texto: Djalma Corrêa Pacheco

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1