20180316 GabrielRodzinski PrefeitoVistoriaInicioObrasBancoSangueSaoCamilo abre
Fotos: Gabriel Rodzinski
O prefeito Leonardo Pascoal visitou a Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio (Hospital São Camilo) nesta sexta-feira (16) para conferir o início das obras do novo espaço para a agência transfusional da casa de saúde. A unidade tem como função armazenar sangue e seus derivados para uso no hospital. A reforma será feita com recursos do Rotary Club de Esteio. O presidente da instituição no Município, Luís Felipe Kittel, também esteve no local, junto ao diretor administrativo do São Camilo, Dilnei Garate, a supervisora geral da Fundação, Andresa Maitê Bohn.

 

“Queremos agradecer muito ao Rotary por esta parceria, que contribui para os esforços que a gestão está fazendo para melhorar as condições de atendimento no São Camilo, um trabalho árduo, tendo em vista as condições em que o hospital estava quando assumimos. Mas, aos poucos, e com colaborações como esta, vamos conseguir entregar serviços melhores para a população é atendida aqui”, comentou Pascoal.

 

O sangue utilizado no São Camilo é fornecido pelo Hemocentro do Estado. Para doar e colaborar para que não falte material nos estoques do hospital, é necessário ir até a sede da instituição estadual, que fica em Porto Alegre, na Av. Bento Gonçalves, 3722 (de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h). Como alternativa, periodicamente o Grupo Sangue Amigo da Vida organiza um ônibus para levar os esteienses até o Hemocentro para doações. Além disso, a unidade móvel da instituição também vem a Esteio para fazer coletas.

 

Esforço conjunto para manutenção do atendimento no hospital

Ainda nesta semana, na última quarta-feira (14), o São Camilo recebeu a boa notícia da liberação de uma emenda parlamentar no valor de R$ 500 mil. O recurso, já inscrito no Orçamento de 2018 do Governo Federal, será utilizado na reforma dos vestiários dos funcionários da casa de saúde esteiense, atendendo uma demanda do Ministério Público do Trabalho.

 

Desde o início da atual gestão, a Prefeitura adotou uma série de ações para melhorar as condições financeiras, garantir o pagamento de salários e de fornecedores e manter a casa de saúde esteiense aberta e atendendo a população. O São Camilo começou 2017 com dívidas de anos anteriores e salários atrasados, o que levou ao decreto de emergência financeira no hospital logo no primeiro dia do atual mandato.

 

Para 2017, estava previsto que a Prefeitura encaminhasse R$ 9 milhões em verbas para o hospital, valor que logo se mostrou insuficiente para manter a casa de saúde em funcionamento. Para buscar uma solução para essas dificuldades, a Administração Municipal precisou criar o Programa de Incentivo Financeiro ao Hospital São Camilo. A partir do projeto, o total de repasses feitos pela Prefeitura para a Fundação passou de R$ 20 milhões, mais que o dobro da previsão inicial para o ano. Em 2017, foram pagos, por exemplo, R$ 6,7 milhões relativos a débitos em aberto dos anos de 2014, 2015 e 2016.

 

O recurso extra foi reunido em esforço de todas as secretarias municipais, que cederam parte de seus orçamentos para poder financiar a medida. Além das verbas municipais, o hospital é mantido, também, com verbas federais e estaduais.

 

Em 2017, ainda, foram realizadas melhorias na estrutura do hospital. O telhado foi reformado, com a substituição de calhas, estrutura de madeira e telhas, e a fachada externa recebeu nova pintura.

 

Outra medida para garantir as condições financeiras da casa de saúde esteiense é a reabertura ao atendimento de convênios e particulares, além da manutenção dos atendimentos públicos gratuitos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em fevereiro, o São Camilo foi credenciado junto ao Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (IPE). Estão em andamento, também, a negociação com a Unimed e outras operadoras de serviços de saúde para fechar novos acordos.

 

Sobre doação de sangue

Onde doar: Hemocentro do Estado (Av. Bento Gonçalves, 3722 – Porto Alegre)
Atendimento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h

 

Não se esqueça, para ser um doador de sangue é preciso:

Ter de 18 a 65 anos, pesar mais de 50 quilos, ser saudável e ter se alimentado. Aqueles que já tiveram hepatite, doença de chagas, malária, sífilis ou fizeram tatuagem no último ano não podem fazer a coleta.

 

Orientações para doadores

Há critérios que permitem ou que impedem uma doação de sangue, que são determinados por normas técnicas do Ministério da Saúde, e visam à proteção ao doador e à segurança de quem vai receber o sangue.

 

Requisitos

Levar documento oficial de identidade com foto (identidade, carteira de trabalho, certificado de reservista, carteira do conselho profissional ou carteira nacional de habilitação)
Estar bem de saúde
Ter entre 16 e 69 anos (de 16 anos completos a 18 anos incompletos, é necessário ter autorização dos pais)
Pesar mais de 50 quilos
Não estar em jejum; evitar apenas alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação.
Não ter ingerido bebidas alcoólicas até 24 horas antes da doação

 

Impedimentos temporários

Febre
Gripe ou resfriado
Gravidez
Puerpério: parto normal, 90 dias; cesariana, 180 dias
Uso de alguns medicamentos
Pessoas que adotaram comportamento de risco para doenças sexualmente transmissíveis

 

Cirurgias e prazos de impedimentos

Extração dentária: 72 horas
Apendicite, hérnia, amigdalectomia, varizes: três meses
Colecistectomia, histerectomia, nefrectomia, redução de fraturas, politraumatismos sem sequelas graves, tireoidectomia, colectomia: seis meses
Transfusão de sangue: um ano
Tatuagem: um ano

 

Impedimentos definitivos

Hepatite após os 10 anos de idade
Evidência clínica ou laboratorial das seguintes doenças transmissíveis pelo sangue: hepatites B e C, AIDS (vírus HIV), doenças associadas aos vírus HTLV I e II e Doença de Chagas
Uso de drogas ilícitas injetáveis
Malária

 

Intervalos para doação

Homens: 60 dias (até quatro doações por ano)
Mulheres: 90 dias (até três doações por ano)

 

Texto: Eduardo Baratto Leonardi

 

gallery1 gallery1