20170911 CamilaMoraes AtividadesLionVoluntariosSaoCamilo abre
Fotos: Camila Moraes
Bebês prematuros que nasceram na Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio (FSPSCE) nas últimas semanas receberam um presente especial: polvos de crochê confeccionados por voluntárias do Lions Clube, de Sapucaia do Sul. Os bonecos foram entregues à coordenação da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal do hospital, que fez a esterilização dos bichinhos para que as crianças pudessem utilizar do projeto Terapia do Octo. A prática surgiu na Dinamarca, foi difundida em outros países da Europa e há algum tempo foi adotada em hospitais brasileiros, chegando ao São Camilo através da parceria com o Lions Clube de Sapucaia do Sul.

 

Voluntárias da instituição doaram 23 bonecos para a casa de saúde esteiense. “Nos reunimos, entre 10 mulheres, todas as segundas-feiras para confeccionar os bichinhos de crochê. Para nós do Lions é um prazer poder ajudar. Somos voluntárias para fazer o bem”, destaca Jeanete Reckziegel, moradora de Sapucaia do Sul.

 

“Ao abraçar o brinquedo feito de crochê, os recém-nascidos se sentem mais calmos e protegidos, pois os tentáculos, conforme estudos já desenvolvidos, remetem ao cordão umbilical e dão a segurança semelhante à do útero materno, proporcionando um aconchego maior e também melhorando a frequência cardíaca. Vale ressaltar que cada paciente utiliza um único polvo e assim que recebe alta, leva o seu bichinho para casa”, explica o coordenador da UTI Neonatal do São Camilo, Gadiel Oliveira do Canto.

 

A pequena Taylla Maciel nasceu de 28 semanas e há dois meses está internada no hospital. Ela é um dos bebês tratados com o projeto Octo e passa os dias agarrada em seu polvo cor-de-rosa. Os pais da menina aprovam a medida e afirmaram perceber uma melhora imediata em seu comportamento a partir do momento em que colocaram o boneco junto ao seu corpo. “É bom demais. Ela ficou mais tranquila dentro da incubadora. É difícil para nós como pais ver um filho em tratamento, mas saber que ela tem um aconchego, me conforta também” comenta Lidiane Maciel, mãe do bebê.

 

Parceria com voluntários

A confecção dos polvos de crochê é uma das atividades realizadas pelo Lions Clube de Sapucaia em parceria com a FSPSCE. Outra ação é a doação de óculos de grau. As voluntárias colocaram uma caixa na recepção do hospital, para que as pessoas deixem ali óculos que não utilizam mais. As funcionárias que integram o Grupo de Trabalho Humanizado (GTH) do São Camilo recolhem as doações e, uma vez ao mês, entregam para a entidade. “As doações aqui no hospital são significativas, recebemos 30 óculos por mês. Nós buscamos aqui e distribuímos para as pessoas que precisam e não têm condições de comprar, através da associação beneficente Cruz Vermelha”, conta Jeanete.

 

Além dos projetos do Lions Clube, o Hospital São Camilo tem outros parceiros que atuam de forma voluntária no local. O Espaço da Leitura São Camilo é um exemplo. Organizado pela bibliotecária Zilmar Sampaio, o lugar reservado para aqueles que querem ler fica no saguão do hospital. Servidora da rede municipal de educação, Zilmar cuida da biblioteca do Centro Municipal de Educação Básica Edwiges Fogaça. No São Camilo, dedica seu tempo livre com contação de histórias para pacientes internados.

 

Também realizam atividades no São Camilo igrejas e ONGs de Esteio. As instituições fazem apresentações de teatro e música, principalmente em datas especiais como Dia das Crianças e Natal. Todos os adeptos do voluntariado são instruídos e monitorados pelo GTH do hospital. A coordenadora do setor, Sabrina Didio Coelho, explica que o GTH promove encontros periódicos com os voluntários. “Realizamos capacitações a cada seis meses, nas quais orientamos os voluntários sobre como evitar a transmissão de doenças e proliferação de infecções. Desta forma, mantemos o controle de viroses e evitamos a propagação de doenças”, informou.

 

Doação de agasalhos

As funcionárias do hospital que integram o GTH, também encontraram uma forma de contribuir. Criaram a Campanha Permanente do Agasalho. A ação consiste em uma caixa que fica na entrada do São Camilo o ano inteiro, para que a população doe roupas e calçados usados. As doações são recolhidas pelo grupo, que lava, organiza e guarda as roupas e os calçados. “Quando chega uma pessoa em situação vulnerável, nós vamos até o estoque. Sempre temos um agasalho para quem necessita, até sapatinhos de bebê”, destacou Sabrina.

 

Texto: Camila Moraes

 

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1