20170812 DjalmaCorreaPacheco EncerramentoProjetoLazerReciclados abre
Fotos: Djalma Corrêa Pacheco
Pallets usados, geladeiras estragadas, pneus velhos e outros materiais que seriam descartados foram transformados em bancos, brinquedos e floreiras. O que antes iria para o lixo, até mesmo de forma irregular, agora dá um novo aspecto para o trecho entre as ruas São Borja e José do Patrocínio, próximo a Residencial Renascer II, no Bairro São José. O projeto de revitalização, feito pela empresa Arlanxeo, como forma de compensação ambiental, e Prefeitura de Esteio, foi entregue no último sábado (12). “Ficou ótimo esse lugar. Agora, a gente pode ocupar este espaço, vim tomar um chimarrão. Tomara que seja usado para bons momentos e que as pessoas ajudem a cuidar. Antes, estava um lugar onde vinham descartar lixo. Agora, é uma nova área para uso da comunidade”, comentou a dona de casa Celoi da Silva Kohlrausch.

Durante solenidade no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) que marcou o encerramento do projeto, o prefeito Leonardo Pascoal destacou a parceria com a iniciativa privada para a revitalização do espaço. “O resultado deste trabalho nos orgulha, porque foi feito a muitas mãos. É assim que entendemos que as coisas precisam ser feitas. Não deve caber apenas à Prefeitura, ao poder público, trazer as soluções para a cidade. Comunidade e empresas precisam compartilhar os problemas e buscar, juntas, a solução”, afirmou. “Com essa revitalização, as pessoas terão um convívio com Arroio Sapucaia, que não é local de destarte de esgoto, mas sim um curso d´água importante para Esteio. A experiência que adquirimos aqui vai, também, permitir que façamos projetos semelhantes em outras áreas da cidade”, salientou.

De 31 de julho a 5 de agosto, estudantes de arquitetura, carpinteiros e moradores das comunidades no entorno do CEU participaram de oficinas na qual foram ensinadas técnicas para transformar materiais recicláveis no mobiliário que seria usado na praça. Além da preparação dos materiais, as aulas também serviram como alternativa de trabalho para a comunidade.

Na semana seguinte, foi a vez dos voluntários instalarem os móveis na praça. Além disso, estudantes de escola de Esteio fizeram o plantio de mudas, cultivadas por eles próprios, nas floreiras e nos vasos feitos nas oficinas de mobiliário. A próxima etapa será a implantação de uma horta comunitária feita pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SMMA) em parceria com Secretaria Municipal de Obras e Serviços Urbanos (SMOSU) e CEU.

Além das aulas voltadas ao mobiliário, o projeto São José contou com oficinas de confecção de artesanatos em CD, fabricação de sabão e customização de jeans, entre outras. A proposta era dar alternativas de geração de renda para pessoas da comunidade. Quem aproveitou foi Jussara da Silva, que aprendeu a fazer sabão e não está dando conta da demanda. “Estou muito emocionada em estar aqui e dizer que foi muito boa a oficina. Aprendi e hoje já estou vendendo bastante. Além de renda, ajudo também o meio ambiente ao não jogar mais fora óleo de cozinha usado”, disse durante a solenidade no CEU.

Também participaram da cerimônia, que teve até distribuição de pipoca e exibição de filme, a titular da SMMA, Sabrina Reis, o secretário municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Marcelo Kolhrausch, a vereadora Fernanda Fernandes e o gerente industrial da Arlanxeo, Sérgio Schuck.

 

Texto: Djalma Corrêa Pacheco

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1