20140709_AdrianoRosadaRocha_MelhoriasSaoCamilo_002
Foto: Adriano Rosa da Rocha
Nesta terça-feira (25), o prefeito Leonardo Pascoal e o diretor da Fundação Municipal de Saúde São Camilo, Dilnei Garate, lançam o Programa de Incentivo Financeiro à Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio. O objetivo é reduzir o deficit mensal da instituição, com aporte de recursos extras por parte da administração municipal, permitindo a melhoria do fluxo de caixa da instituição e uma maior regularidade nos pagamentos de servidores, prestadores de serviços e fornecedores. A medida foi autorizada pela Lei Municipal nº 6.611, de 12 de julho de 2017.

 

De acordo com o prefeito, a intenção é repassar cerca de R$ 9 milhões ao hospital até o final de 2017. “São valores correspondentes à contribuição financeira, que servirão para a manutenção e ações desenvolvidas pela instituição. O Hospital São Camilo é a principal referência em atendimento à saúde da população esteiense e também da região. Desde o começo desta gestão, não medimos esforços para viabilizar que a casa de saúde garanta um atendimento de qualidade às pessoas e vamos continuar nos dedicando para melhorar cada vez mais área da saúde no município. Esta é uma meta prioritária estabelecida no programa de governo e vamos cumprir”, afirmou Pascoal.

 

Com mais este investimento proposto, o valor total repassado pela Administração Municipal para a casa de saúde, ao longo do ano, deverá chegar a R$ 18 milhões, o dobro do previsto no Orçamento de 2017. Além disso, o hospital recebe ainda recursos federais, na ordem de R$ 13 milhões/ano, e estaduais, cerca de R$ 24 milhões/ano.

 

Organização financeira

Desde o início da gestão há um esforço contínuo da Administração Púbica em manter a Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio em pleno funcionamento. No início de janeiro, devido à falta de recursos para o cumprimento de obrigações básicas da instituição, foi decretada situação de calamidade financeira do hospital. Nos dias seguintes, a Administração Municipal repassou R$ 3 milhões para a instituição para pagamento dos salários dos servidores, do corpo técnico e fornecedores. A Prefeitura intensificou a cobrança ao Governo do Estado para a quitação de um atraso de R$ 10 milhões em repasses, ocorrido em fevereiro.

 

Texto: Cristiane Franco