20170713 AdrianoRosadaRocha RevitalizacaoEntradaCidade abre
Fotos: Adriano Rosa da Rocha
Uma ação conjunta das secretarias municipais de Meio Ambiente (SMMA) e de Obras e Serviços Urbanos (SMOSU) está dando um novo aspecto para a principal entrada da cidade, junto ao viaduto João Belchior Goulart (Viaduto da Padre Felipe) e BR-116. Na tarde desta quinta-feira (13), equipes das duas secretarias trabalhavam no novo paisagismo que está sendo desenvolvido no local, junto ao lago.

Em cada lado do letreiro com o nome da cidade no canteiro da rótula, foram plantados dois jerivás. As palmeiras foram transplantadas do Parque Municipal Galvany Guedes. Uma das árvores precisou ser retirada do espaço verde do Jardim Planalto em virtude de estar muito próxima à rede elétrica e a outra foi transplantada em razão do tamanho, para que os dois jerivás ficassem da mesma altura na entrada de Esteio. Duas árvores da mesma espécie serão plantadas no Galvany.

Além disso, foram feitos novos canteiros, com plantio de agaves, lírios, éricas, bromélias, cinerárias marítimas e clorofitos junto ao letreiro. Árvores mortas ou que estavam morrendo junto ao barranco e ao lago foram removidas para dar lugar a novas espécies, mais adequadas ao local, como corticeiras do banhado e ipês, entre outras. A taipa (muro de pedra) junto ao lago também está passando por manutenção.

A coordenadora de conservação de espaços públicos, Natiele Alves, responsável pela ação junto com o técnico florestal Tiago Dexheimer, disse que o novo paisagismo está sendo feito sem custos extras para a Administração Municipal, com o uso de mudas de plantas e árvores de outros espaços ou que já estavam na entrada da cidade.

No outro lado, na entrada do Novo Esteio, próximo à Rua Irmã Dulce, estão sendo plantadas mudas da espécie ave do paraíso e bubine (cebolinha) nos canos que funcionam como floreiras. Segundo Natiele , em uma próxima etapa será criada no espaço uma pequena praça, com o plantio de árvores frutíferas e instalação de bancos e brinquedos para as crianças.

 

Texto: Djalma Corrêa Pacheco

gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1
gallery1 gallery1 gallery1