A diferença do valor gasto com horas extras pela Prefeitura de Esteio nos primeiros quatro meses de 2017 foi 41,38% menor em relação ao mesmo período do ano anterior. Isso representou R$ 372,3 mil de economia de dinheiro público. Somente no mês de abril, por exemplo, a Administração Municipal poupou R$ 94,5 mil em horas extras, sem prejudicar o atendimento à população esteiense. Conforme levantamento da Secretaria Municipal de Administração (SMAD), em número de horas extras, o total baixou de 38.867,84, entre janeiro e abril de 2016, para 19.148,62, no mesmo período de 2017, ou seja, caiu quase pela metade.

Conforme ressaltou o prefeito, Leonardo Pascoal, a redução expressiva não significou corte no oferecimento de serviços pela Administração Municipal. “Pelo contrário: com a reorganização de horários, por exemplo, nas secretarias municipais de Obras e Serviços Urbanos e de Segurança e Mobilidade Urbana, a Prefeitura ampliou as equipes de limpeza e os horários de fiscalização de trânsito e da Guarda Municipal, com o projeto Guarda Mais Presente. Isso é fazer gestão com o dinheiro público”, afirmou.

Outra ação buscando a economia na gestão pública foi o fim do pagamento de triênios e quinquênios para servidores em cargos de comissão (CC). Além disso, no início da gestão o número de CCs na Prefeitura foi reduzido em 30%, levando a uma economia estimada, em quatro meses, de aproximadamente R$ 700 mil.

Essas medidas permitiram, por exemplo, o pagamento de forma antecipada, em abril, da primeira parcela do 13º salário dos servidores de Esteio. Viabilizaram, também, a quitação de licenças-prêmio de 34 servidores que aguardavam desde 2014 o pagamento do quinquênios, direito do funcionário público de Esteio a cada cinco anos de serviços sem a ocorrência de faltas, entre outros critérios, benefício previstos nas Lei Nº 1645, de 1990, e Lei Complementar Nº 5231, de 26 de janeiro de 2011 (Regime Jurídico dos Servidores Públicos Estatutários).