Foto: Djalma Corrêa Pacheco
Foto: Djalma Corrêa Pacheco
O vice-prefeito Jaime da Rosa recebeu uma comitiva de moradores da Vila Bom Jesus na manhã desta quinta-feira (16) para tratar sobre as obras do projeto de urbanização que está sendo realizado na comunidade. “Quero dizer que nós estamos sempre abertos para ouvir o que as pessoas têm a nos dizer. Não vamos nunca levar para o lado errado qualquer cobrança e reivindicação que nos façam. Pelo contrário; vamos ouvir com atenção e trabalhar no sentido de resolver qualquer problema que exista”, afirmou Jaime.

A principal preocupação dos moradores é com o rebaixamento da principal via da Bom Jesus. Eles temem que, com fortes chuvas, o volume do Arroio Esteio suba muito, extravasando o leito e invadindo as casas. Uma das sugestões apresentadas pela comitiva foi que sejam interrompidas as obras em andamento e que seja construída uma mureta ao longo do curso d’água, para evitar a invasão. O vice-prefeito explicou que se a obra for paralisada os recursos da Caixa Econômica Federal poderão ser suspensos e, até mesmo, cancelados, trazendo prejuízos aos moradores.


De acordo com os engenheiros civis da Prefeitura Carlos Azevedo e Carla Cardias, a construção da mureta, em vez de solução, trazer mais problemas, como o represamento das águas dendro da comunidade. A proposta da Prefeitura é fazer um estudo para a elaboração de um projeto que complemente o que está em andamento na Bom Jesus, que prevê intervenções de drenagem pluvial, construção de rede de esgoto, pavimentação e regularização dos lotes.


Os moradores também solicitaram a construção de uma ponte sobre o Arroio Esteio, ligando a Bom Jesus e a Rua Pelota, bem como a intervenção da Prefeitura junto aos Correios para que os carteiros entreguem as correspondências nas casas da comunidade.


No final da reunião, o titular da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SMDUH), Marcelo Kolrausch, explicou que o problema das enchentes em Esteio atingem quase todo o Município e que a diminuição do problema passa por um amplo projeto, com intervenções que demandam um investimento na ordem de mais de R$ 300 milhões


Também participou da audiência, o secretário municipal de Obras Viárias e Serviços Urbanos, Rafael Fernandes.

Texto: Djalma Corrêa Pacheco